1º de Dezembro – Dia Mundial de Luta Contra a Aids

 


Todos os anos, desde sua criação, a Pastoral da Aids-CNBB desenvolve a Campanha de Primeiro de Dezembro – Dia Mundial de luta contra a Aids. A data é celebrada por uma decisão da Assembleia da Organização Mundial de Saúde, realizada em outubro de 1987, com apoio da ONU. No Brasil, a data foi adotada em 1988, por uma portaria assinada pelo Ministro da Saúde.

O Dia Mundial de Luta Contra a Aids apresenta-se como momento oportuno para o estabelecimento de redes e parcerias entre organizações de luta contra a aids e os serviços de saúde. Neste dia, as ações são de caráter mais político, ou seja, comporta manifestações dos movimentos sociais e Fóruns de Ongs/aids, norteadas pela defesa dos direitos e na visibilidade da luta contra a aids, especialmente o acesso universal à prevenção e ao tratamento.

A Pastoral também se engaja nestes movimentos para defender os direitos das pessoas que vivem com HIV e promover a difusão de informações de prevenção. Além disso, a data serve para reforçar a solidariedade e a compaixão com as pessoas infectadas pelo HIV/Aids.

Este ano, fomos surpreendidos pela pandemia do COVID 19, precisando adaptar ações e práticas às exigências do tempo presente. Este foi o desafio dos/as coordenadores/as regionais e suas equipes locais. É tempo de pandemia, tempo de cuidado redobrado consigo mesmo e com os outros. Tempo de distanciamento social, de não aglomeração de pessoas, de uso de máscara e álcool em gel.

 Em função disso, procuramos organizar uma campanha que respeite este cuidado que devemos manter por causa da pandemia, sem esquecer que o HIV continua existindo e ainda é necessário reforçar o direito que as pessoas têm de ter acesso ao diagnóstico oportuno, tratamento e medicação em caso de resultado positivo, além de acesso facilitado aos insumos de prevenção, nas suas variadas possibilidades.

A arte que sustenta essa campanha quer passar a ideia de que os agentes da Pastoral da Aids assumem a missão de acolher, cuidar e proteger a vida, tanto do HIV, quanto do covid-19, enquanto não se encontram soluções mais definitivas para as mesmas.

A campanha se alicerça também em dois movimentos que vem acontecendo na Igreja. Um de ordem universal e um de abrangência nacional.

O primeiro é o chamamento que o Papa Francisco faz para uma Igreja em saída, para ir às periferias existenciais e para uma ação solidária no cuidado com os mais vulneráveis. Recentemente o Pontífice fez o convite a uma nova economia, ao cuidado da casa comum e dos pobres. Esta síntese representa o desejo da Igreja de colaborar com um mundo onde todos tenham a vida garantida.

Em nível nacional, a Igreja no Brasil realiza a 6ª Semana Social Brasileira, que convoca todos os cristãos e pessoas de boa vontade a um grande mutirão em defesa da vida. Convida-nos ao envolvimento desde nossas bases comunitárias, somando esforços num grande processo de diálogo, formação, articulação e proposição de ações afirmativas para um projeto de sociedade mais humana e humanizada. Acreditamos que esta campanha do Dia Mundial de luta contra a aids se inscreve nesta perspectiva e torna concreto o objetivo da Semana Social.

“É Tempo de Cuidar...” Este é o mote da campanha. Trata-se de perceber a importância da fé que se manifesta em gestos concretos de cuidado, assim como fez Jesus e como pediu que agissem seus seguidores.

A Pastoral da Aids, em sintonia com o chamamento do Papa Francisco e da CNBB, integra e reforça o cuidado com a vida (bem maior), com os Direitos Humanos, com as políticas públicas, com a saúde, terra, teto e trabalho.

É tempo de cuidar...Significa é tempo de acolher, de estar próximo, de acompanhar especialmente aquelas pessoas que se encontram em situação de vulnerabilidade e risco. É tempo de alcançar um pouco de alimento, de orientar para que as pessoas tenham acesso aos benefícios garantidos na legislação e de pressionar as autoridades constituídas para que torne fato, aquilo que está estabelecido de direito.

Que através desta Campanha nos sintamos alegres, unidos e perseverantes neste serviço Pastoral da Igreja do Brasil - importante Rede de prevenção e cuidado com as pessoas que vivem e convivem com HIV e Aids e seus familiares. Que cada um e todos nós, em sua situação concreta, estejamos bem atentos para percebermos onde a ação é mais urgente, a fim de que possamos ser presença profética na luta contra Aids, formando um grande mutirão pela vida.

Missa de posse

 


Missa de posse da Secretaria Nacional da Pastoral da Aids realizada dia 23/outubro/20.

Grito dos Excluídos


A Diocese de Santos realizou o 26º Grito dos Excluídos de forma descentralizada em algumas das nove cidades, como forma de assegurar a participação sem aglomerações. Atos simbólicos, com a participação de três ou quatro elementos por entidade social. A Pastoral da Aids se fez presente.



Festa de Nossa Senhora da Lapa

 

Agentes da Pastoral da Aids - Região Cubatão, participaram da Santa Missa Festiva da Padroeira Nossa Senhora da Lapa.

Homenagem a Santa Dulce dos Pobres

 Aconteceu dia 13 de agosto na Paróquia Santo Antonio, em Aramina - Franca, Hora Santa  com a benção do Santíssimo, presidida pelo Pe Mauro Marçal, em homenagem a Santa Dulce dos Pobres, Patrona da Pastoral da Aids. Foi transmitida on-line.